Elektro: assinado o acordo da PLR dos gestores

Elektro: assinado o acordo da PLR dos gestores
21 outubro 12:30 2013 Débora Piloni e Nice Bulhões

Tudo assinado: Sindicato assina Termo da PLR dos gestores, conforme aprovado nas assembleias, sem as alterações propostas pelo Sindicato

O Sinergia CUT assinou, no último dia 17, o termo da PLR 2013/2014 dos gestores da Elektro, da forma que a empresa propôs, já que ela  não concordou com as alterações encaminhadas pelo Sinergia CUT. Justificativa da empresa: assim foi aprovado pelos trabalhadores nas assembleias.

Bom recordar que o ACT, com vigência até 2015, e também o Termo Aditivo que garante aos trabalhadores as PLRs 2013 e 2014 foram assinados pelo Sinergia CUT em 31 de julho deste ano, mas isso somente após muita discussão com a empresa. Naquela ocasião, ficou pendente para o Sindicato somente a assinatura do Termo da PLR dos gestores. A Elektro, por sua vez, havia assinado apenas os termos das PLRs, faltando assinar o ACT, o que aconteceu também no último dia 17.

O processo negocial de 2013: muita pressão e coação
O Sinergia CUT sempre trabalhou para fazer a diferença na Campanha Salarial com disposição de avanço na mesa de negociação e apostando na mobilização dos trabalhadores nos locais de trabalho.

A Elektro, por sua vez, preferiu caminhar na contramão, fazendo pressão, coação e se utilizando de práticas antissindicais para “convencer” os trabalhadores na aprovação da proposta final. E a proposta alterou cláusulas com vigências até 2015 como o Programa Especial de Aposentadoria (PEA), escala de linha viva e implementou 1 hora de almoço em todas as escalas.

Vale lembrar que a proposta da PLR da empresa aprovada pelos trabalhadores sequer tinha definição das metas e indicadores, apesar da garantia por dois anos do piso mínimo de 90% do valor individual recebido em 2011 para a PLR. E também não tinha sido nada negociada, conforme prevê a lei da PLR dos chefes, garantindo por dois anos para estes valores majorados em caso de atingirem os indicadores técnicos (50%) e ainda muito mais grana caso alcancem as metas financeiras (100%).

Durante todo o processo negocial deste ano, ficou claro o empenho da Elektro voltado, especialmente, à PLR dos gestores já que, em 2012, o Sindicato não assinou essa PLR e, mesmo assim, a empresa efetuou o pagamento em março passado. Coube denúncia na Gerência Regional do Trabalho de Campinas e audiência em 11 de abril deste ano, sem acordo. Para a direção do Sindicato, este assunto continua e terá outros desdobramentos.

Vale ressaltar que o Sindicato prepara ainda denúncia ao Ministério Público, requerendo a instauração de inquérito para apuração de atos antissindicais por parte da empresa e, se devidamente comprovados, sujeitos à indenização e apuração de responsabilidades pessoais para tipificação penal, nos termos dos artigos 199 e 203 do Código Penal.

Na PLR dos gestores, Sindicato propôs alteração. Empresa nada considerou
O texto do Acordo de PLR de gestores teve algumas considerações feitas pelo Sindicato visando fazer justiça aos trabalhadores. Mas todas as sugestões foram desprezadas pela empresa. Lamentável.
E um detalhe: a exemplo do ano passado, a Elektro enviou carta à FNU pedindo que a Federação substituisse o Sindicato na representação dos trabalhadores no quesito PLR de gestores. Mais uma vez, lamentável!



  Categorias: