8 de março: Dia Internacional da Mulher

8 de março: Dia Internacional da Mulher
07 março 10:13 2014 Débora Piloni, com informações da CUT SP

“Quem quer que conheça qualquer coisa da história sabe que as grandes mudanças sociais são impossíveis sem o fermento feminino. O progresso social pode ser medido exatamente pela posição social do belo sexo”. K. Marx, cartas a Kugelmann

Trabalhadoras lutam por equidade salarial entre homens e mulheres e pelo fim da violência doméstica. Durante este mês, Sinergia CUT realiza atos em locais de trabalho

Neste sábado 8 de março, Dia Internacional de Luta das Mulheres, trabalhadoras e trabalhadores da CUT São Paulo ocuparão as ruas da capital paulista para exigir igualdade, liberdade e autonomia. A concentração começa às 9h, no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista nº 1578,  de onde sairá a caminhada até a Praça Franklin Roosevelt, próximo às estações de metrô República e Anhangabaú.

Neste ano de 2014, em que a CUT/SP completa 30 anos de lutas e conquistas, as trabalhadoras lembram também a importância das mulheres do campo e da cidade na defesa da igualdade, que começa dentro da própria Central: a partir da próxima gestão, a direção deverá ser formada por 50% de dirigentes de cada gênero.

A secretária da Mulher Trabalhadora da CUT/SP, Sonia Auxiliadora, ressalta a importância da atividade para dar visibilidade à luta das trabalhadoras. “Vamos às ruas para dialogar com a classe trabalhadora sobre os problemas enfrentados no dia-a-dia como a falta de creches públicas, igualdade salarial, licença maternidade de 180 dias e a violência contra as mulheres que acontece em casa, nas ruas e no ambiente de trabalho”, afirma.

As dirigentes cutistas também levarão às ruas as histórias de violência que testemunharam em caravana que percorreu o estado no final de 2013. Como resultado da mobilização de 30 dias, as lideranças sindicais entregaram um documento com denúncias à Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM/PR).

Outra pauta deste 8 de março é a defesa de um Plebiscito por uma Constituinte Exclusiva e Soberana que promova a reforma política. A CUT e parceiros dos movimentos sociais encampam esse movimento que defende, entre outras propostas, ampliar a representação das mulheres (elas ocupam apenas 9% dos mandatos na Câmara dos Deputados e 12% no Senado) em espaços políticos como o Congresso Nacional e as Câmaras federal, estaduais e municipais.

Sinergia CUT nesta luta

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o Coletivo de Mulheres do Sinergia CUT realizará um ato no dia 19 de março, às 11h, na sede da Elektro, em Campinas. No dia seguinte (20), logo às 7h, haverá um ato na sede da CPFL, também em Campinas.

Nessas ocasiões serão distribuídas a cartilha da Mulher Trabalhadora que Amamenta e o jornal da Mulher /CUT.

  Categorias: