CS 2014: Sindicato quer que AES Tietê discuta toda pauta de reivindicação

CS 2014: Sindicato quer que AES Tietê discuta toda pauta de reivindicação
07 maio 17:58 2014 Nice Bulhões

A AES Tietê iniciou hoje (07/05) a 2ª rodada de negociação solicitando ao Sindicato para se antever aos impactos sobre o encerramento do contrato bilateral com a Eletropaulo em 2015 e ressaltou que quer negociar somente itens econômicos, a cláusula da política de emprego, e mantém as demais cláusulas do ACT vigente, que tem vigência de dois anos.

O Sinergia CUT argumentou que o fim do contrato bilateral com a Eletropaulo não deve causar mudanças no cenário para os acionistas, a não ser a redução de rentabilidade, que nos últimos 12 anos resultou em até duas vezes mais que as demais empresas com o mesmo porte da AES Tietê, transformando-a como a empresa que teve a maior rentabilidade do setor elétrico.

Entenda o que acontece
Durante o processo de privatização, os acionistas que adquiriram a AES Tietê estipularam que o retorno do capital investido através do preço do MW praticado na época seria em até 10 anos, por exemplo. No entanto, com a assinatura do acordo bilateral com a Eletropaulo, ocorrido em 2003, duplicou o preço da tarifa e a expectativa do retorno do capital passou para 5 anos.

Outro fator que favoreceu a empresa foi a renovação das concessões porque as geradoras que renovaram as concessões em 2013 estão gerando MW por R$ 30,00 (operação e manutenção). A AES, como tem concessão até 2028, está colocando energia no mercado, o que excede sobre contrato bilateral em até R$ 800,00; e com o acordo da Eletropaulo, em torno de R$ 200,00, muito acima dos R$ 30,00. A Usina Três Irmãos e os novos empreendimentos Geração Santo Antonio e Jiral estão gerando em torno de R$ 60,00 o WM.

Por estas e outra razões, os números da Tietê em 2013 superaram as expectativas: Receita Operacional Bruta aumentou em 11,2%; e a Receita Liquida em 10,6%. Enquanto isso, o numero de trabalhadores reduziu em 7,42%; e o custo com o pessoal, comparado à Receita Operacional Liquida, reduziu em 9,29%.

Portanto, o Sinergia CUT ressaltou a necessidade de discutir toda a pauta de reivindicação destacando o aumento real de salário, vigência por três anos, reajuste no tíquete acima do reajuste salarial; melhoria na cláusula de emprego, auxílio educação, Hora Extra, dentre outras. A empresa se comprometeu a analisar os pontos ressaltados pelo Sindicato e, na próxima reunião (14/05) será apresentada proposta na mesa de negociação.

A EMPRESA NÃO DÁ NADA, A GENTE QUE CONQUISTA!

  Categorias: