CS 2014: novamente sem avanços na Energisa

CS 2014: novamente sem avanços na Energisa
13 maio 10:50 2014 Débora Piloni

Empresa apresenta proposta  que extingue várias conquistas históricas dos trabalhadores. Sindicato rejeita o absurdo e novas rodadas são agendadas para os dias 19 e 26 de maio

Sete horas e meia de muito debate. Este foi o tempo que durou a terceira rodada de negociação da Campanha Salarial da Energisa com o Sinergia CUT, ocorrida na última segunda (12), em Campinas.

E durante todo esse tempo, a exemplo da reunião anterior, os representantes da empresa não esconderam a intenção de querer rebaixar as conquistas dos trabalhadores e mantiveram na mesa sua “pauta” de precarização de direitos. Pior ainda: informaram que só aceitam discutir um reajuste diferenciado do INPC nos benefícios de alimentação (VA/VR), se o Sindicato topar discutir  – para flexibilizar – alguns itens que são conquistas históricas da luta dos trabalhadores.

Com isso, a proposta da Energisa para o Acordo Coletivo foi:

  • Rejuste de salários: 5,62% (INPC)
  • Redução das Horas Extras: aplica somente a lei, isto é, 50% sobre as horas normais; 70% emergencial e 100% nos finais de semana
  • Dirigente sindical: reduz o quadro de dirigentes sindicais de três para dois liberados
  • Reunião na empresa: exclui a cláusula do ACT que permite realização de assembleias no interior da empresa
  • Reembolso de medicamentos: extingue cláusula e implementa o valor da média ponderada do últimos três anos no vale alimentação
  • Gratificação de Férias: retira a atual Gratificação no valor de R$ 2.262,34, passando a pagar somente 1/3 sobre a remuneração (ou seja, aplica-se a “lei”)
  • Transporte: retira o transporte subsidiado para os trabalhadores contratados a partir de 01/04/2009, aplicando somente a lei, isto é, desconta 6% sobre o salário.
  • Plano de Saúde: a empresa quer retirar as seis primeiras consultas gratuitas, passando a pagar 100% do plano e aplicando a participação do trabalhador de 30% desde a primeira consulta.


Brincadeira de mau gosto…

O Sindicato reafirmou sua posição de discutir a pauta dos trabalhadores, bem como cobrou a implementação de cláusulas já acordadas e ainda não cumpridas. Porque… se a empresa está brincando na mesa, o Sindicato não!

… a resposta será mobilização!
Diante de tudo isso, até sexta-feira desta semana (16), o Sinergia CUT realiza assembleias informativas nos locais de trabalho para discutir com os trabalhadores o atual cenário e a situação da negociação.

A quarta rodada está agendada para a próxima segunda (19). Caso a intransigência permaneça e não haja avanços, assembleias ocorrerão entre os dias 19 e 26 para aprovação de um plano de lutas com mobilizações gradativas. A proposta é de manifestação de duas horas no dia 26 e de 04 horas no dia 02 de junho. Fique ligado e participe! Porque… a empresa não dá nada, a gente que conquista!

  Categorias: