CS 2014: 1ª rodada com a Quatiara termina com considerações a serem avaliadas

22 maio 18:00 2014 Nice Bulhões

A reunião com a Quatiara, na última quarta-feira (21), iniciou com as entidades sindicais repudiando a atitude da empresa em informar aos trabalhadores os itens do ACT sem discussão prévia com os sindicatos, como por exemplo o resultado da PLR de 2013. A empresa reconheceu que esta prática prejudica a ação dos sindicatos e se comprometeu a informar primeiro as entidades e posteriormente os trabalhadores.

Nessa primeira rodada de negociação, a Quatiara apresentou uma proposta de PLR no valor de R$ 4.500,00 (reajuste de 7,14%), com três indicadores individuais, conforme descrito abaixo, e propôs o parcelamento do programa, sendo uma antecipação de 30% em julho/2014 e o fechamento em março/2015. Segundo a empresa, o parcelamento é função dos indicadores individuais terem os seus resultados finais em julho.

Indicadores
* Indicador financeiro (gasto por departamento) – peso 30%
* Objetivos individuais – peso 50%
* Avaliação de comportamento – peso 20%

A Apuração pode variar de 80% (R$ 3.600,00) a 120% (R$ 5.400,00)

Os sindicatos rejeitaram a proposta de indicadores individuais e por áreas, pois entendem que os mesmos desfiguram o objetivo da PLR, que deve conter apenas indicadores coletivos e para a avaliação dos trabalhadores. A empresa tem que criar mecanismos internos. Diante disto, os sindicatos apresentaram uma proposta de indicadores:

* EBTIDA com expurgo da energia cara (que está sendo comprada em função da conjuntura atual do setor)
* Disponibilidade de Unidade Geradora

Os sindicatos também reafirmaram que o Programa de PLR tem que obrigatoriamente ser transparente, ou seja, do conhecimento de todos os trabalhadores, e as metas precisam ser factíveis e deve haver contrapartida por parte da empresa a fim de cumprir os objetivos da PLR. Além disto, as entidades sindicais querem um reajuste maior na PLR e não concordam com o parcelamento.

Acordo Coletivo de Trabalho

Primeiro, os sindicatos denunciaram a situação de operador isolado e decidiram que vão entrar na Justiça ao mesmo tempo. Depois, a empresa apresentou a seguinte proposta:

·         Reajuste de 5,38% INPC.

·         Alterar a cláusula de Compensação de Hora Extra

A proposta da Quatiara é que as horas transportadas para o banco, que forem compensadas posteriormente, deverão ser na proporção de uma para uma. O Sindicato não aceitou porque defende que o transporte das horas para o banco deve ser conforme o Acordo Coletivo, ou seja, de segunda a sexta  majorado em 50%  e sábado, domingo e feriado em 100%.

O Sinergia CUT rejeitou a proposta e reafirmou que quer reajuste maior nos salários e um reajuste diferenciado no vale alimentação/refeição. Também não concorda com alteração do Banco de Horas.

Os representantes da Quatiara avaliarão todas as considerações dos sindicatos e comprometeram-se a retornar o mais breve possível. Nova reunião será agendada posteriormente.

A EMPRESA NÃO DÁ NADA, A GENTE QUE CONQUISTA!

  Categorias: