CS 2014: na segunda rodada, Duke apresenta proposta insuficiente. Tem que melhorar!

23 maio 11:48 2014 Débora Piloni

Na última quinta-feira (22), o Sinergia CUT participou da segunda rodada de negociação da Campanha Salarial 2014 com a Duke Energy. Desta vez, a empresa apresentou uma proposta, porém, ainda insuficiente em alguns pontos como, por exemplo, o reajuste salarial. Com isso, nova rodada foi agendada para o dia 30 de maio.

A empresa iniciou a reunião propondo alterações na PLR, passando o percentual de 1,1% do lucro líquido para 1,143% do lucro líquido. Sugeriu também a exclusão da Medição da TF e da DUG.

O Sinergia CUT, por sua vez, propôs a alteração na forma de distribuição da PLR para que seja 70% na parte fixa e 30% na variável. Além disso, pediu a incorporação do adicional de periculosidade no cálculo da PLR dos trabalhadores que o recebem.

As entidades sindicais presentes solicitaram que o mínimo dos 6% da métrica de performance de segurança, já garantido aos trabalhadores, permaneça como garantia mínima de pagamento da nova forma de medição.

Quanto à participação do trabalhador no VA/VR, alegando o aumento do custo das refeições subsidiadas pela empresa, a Duke propôs um aumento na participação do trabalhador de R$ 6,27 para R$ 8,70. Isso seria em troca da diminuição na participação do benefício concedido aos afastados por licença sem vencimento e licença remunerada acima de trinta dias. Mais: os jovens aprendizes passariam a receber o mesmo valor de auxilio refeição e alimentação dos demais trabalhadores.

Os sindicatos ficaram de avaliar essa proposta referente ao VA/VR, mas afirmaram na mesa que a diminuição concedida aos afastados deve compensar o aumento na participação dos demais.

Outros dois itens propostos pela empresa foram rejeitados pelo Sinergia CUT e demais entidades sindicais presentes:

Função Acessória: a Duke propôs exclusão desse benefício do ACT, alegando o seu mau uso.

Rejuste: a empresa ofereceu o reajuste pelo IPCA

O Sindicato reiterou que o índice reivindicado pelos trabalhadores é o do ICV-Dieese e que há também a necessidade de se alcançar o aumento real.

Sem consenso, nova rodada ocorrerá no dia 30, em Chavantes. Fique ligado! A empresa não dá nada, a gente que conquista.

  Categorias: