“Vai ter Copa sim! O que vai faltar é água em SP!”

“Vai ter Copa sim! O que vai faltar é água em SP!”
05 junho 18:18 2014 Lílian Parise, com Imprensa CUT-SP

No Dia Mundial do Meio Ambiente, dirigentes da Ftiuesp e do Sinergia CUT participam do ato contra a crise da água na manhã desta quinta (05)

Milhares de dirigentes sindicais e militantes dos movimentos social e estudantil participaram de um ato pelas ruas de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (05), com o objetivo de esclarecer a população sobre a grave crise no abastecimento de água e denunciar publicamente o descaso do governo estadual nos investimentos necessários para garantir a estabilidade no setor.

O protesto – que foi organizado pela CUT (Central Única dos Trabalhadores), sindicatos filiados, entidades estudantis e ligadas ao movimento social, além da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) – começou com concentração em Pinheiros, zona oeste da capital, e terminou em frente à Companhia de Saneamento Básico do Estado de SP (Sabesp), na Marginal Pinheiros.

A mobilização foi decidida depois do seminário “A Crise da Água em São Paulo”, realizado na Assembleia Legislativa em maio passado, quando os participantes foram unânimes em apontar que o problema da seca é consequência direta da má gestão do governo estadual do PSDB e da direção da Sabesp, empresa de economia mista que, segundo os manifestantes, acabou se transformando em “uma companhia voltada ao lucro e não à boa gestão, planejamento e investimentos em saneamento básico”.

“A culpa não é de São Pedro”

Durante o ato político, o presidente da CUT-SP, Adi dos Santos Lima, reafirmou a irresponsabilidade do governo Alckmin na prevenção da crise. “Não é possível que a população pague a conta pela estiagem e desabastecimento da água, principalmente diante da inércia e irresponsabilidade do governo estadual paulista que, por duas décadas, deixou de investir em obras e planos de contingência para o aproveitamento dos recursos hídricos”, destacou Adi.

Já o presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado de SP (Ftiuesp), Gentil Teixeira de Freitas, alertou que o abandono no setor faz parte do jeito tucano de governar. “Os serviços públicos são abandonados pelo PSDB sem nenhuma preocupação de investimentos para garantir o abastecimento à população. Em 2001, com o maior racionamento de energia do Brasil, diziam que a culpa era de São Pedro, quando todos nós sabíamos que o maior problema era a falta de investimentos em linhas de transmissão”, relembrou.

“Agora, também responsabilizam a falta de chuvas, mas a verdade é que o governo paulista não cumpriu nada do que foi contratado na renovação da concessão do sistema Cantareira, em 2004, descumprindo o compromisso assumido de investir para garantir o abastecimento de água. São Pedro não é culpado pela crise da água em São Paulo. A culpa é do desgoverno tucano”, concluiu Gentil.

  Categorias: