CS 2014: na Duke, a hora é de decisão!

CS 2014: na Duke, a hora é de decisão!
14 novembro 10:00 2014 Débora Piloni

Trabalhadores deliberam se aceitam as mudanças feitas pela empresa no ACT ou se aprovam plano de lutas para garantir direitos

Desde quarta-feira (12) e até o início da próxima semana, os trabalhadores da Duke participam de assembleias deliberativas para decidir se aceitam as mudanças no ACT feitas pela empresa ou se aprovarão plano de luta para garantir direitos.

Tudo porque, em julho passado, o Sinergia CUT detectou que a Duke alterou sete cláusulas do ACT que não foram objetos de negociação na mesa acarretando prejuízos aos trabalhadores: Pagamento de Horas Extras, Auxílios Alimentação e Refeição, Adicional de Função Acessória, Adicional de Periculosidade, Adicional de Turno, Complemento Auxílio Doença/Auxílio Acidentário,  Lanche Relacionado à Hora Extra. Ou seja: o texto dessas cláusulas  não condiz com o aprovado pela categoria durante a Campanha Salarial.

Naquela época, o Sindicato solicitou à Duke as devidas correções. Porém, a empresa não concordou e argumentou que os demais sindicatos já haviam assinado o ACT com as alterações e que somente voltaria a conversar sobre o assunto caso houvesse concordância das demais entidades sindicais.

Diante disso, o Sinergia CUT entrou em contato com o Sindicato de Ipaussu, Sindicato dos Engenheiros e Sindicato de São Paulo, e ficou acordado de assinar um novo acordo ou um Termo Aditivo ao ACT que garantisse a manutenção das cláusulas conforme aprovadas em assembleias.

Mas, em outubro passado, na reunião que deveria ser para a assinatura do ACT e do Termo Aditivo, empresa e as demais entidades voltaram atrás.

O Sinergia CUT ainda tentou  reabrir o processo de negociação, o que foi negado pela Duke. Pior: ela informou verbalmente que, caso o Sindicato de Campinas não assinasse o Acordo, poderia instaurar dissídio coletivo.

Por tudo isso, o Sindicato vem realizando assembleias nos locais de trabalho da Duke para que os trabalhadores deliberem sobre aceitar o novo ACT  ou lutar para garantir seus direitos já conquistados.

  Categorias: