Elektro: reintegração é dia 17

Elektro: reintegração é dia 17
14 novembro 09:30 2014 Débora Piloni

Este é o último prazo estabelecido pela sentença judicial para que empresa reintegre 50 trabalhadores demitidos arbitrariamente em 2012

Termina nesta segunda-feira (17), o prazo para que a Elektro reintegre os  trabalhadores demitidos em 2012 e que não aceitaram a proposta de indenização feita pela empresa visando o encerramento do processo que está em trâmite na 4ª Vara do Trabalho de Campinas.

A proposta financeira apresentada pela Elektro  no último dia 06  foi individual e o desejo da distribuidora era que os 50 trabalhadores dispensados a aceitassem e não retornassem ao trabalho. Segundo a Elektro, a proposta estaria condicionada à sua aceitação por todos os abrangidos no processo e o pagamento ocorreria em parcela única, 30 dias após a homologação do acordo.

No entanto, em assembleias deliberativas realizadas pelo Sinergia CUT na semana passada, a proposta foi rejeitada por maioria absoluta dos  trabalhadores, que consideraram os valores apresentados muito aquém das expectativas de cada um. Esse resultado foi comunicado à empresa.

Emprego não se negocia!
“O Sinergia CUT tem como princípio garantir emprego e postos de trabalho. Portanto, não negociamos demissão ou indenização”, afirma a direção do Sindicato, que continua: “Apostamos na mesa de negociação para a solução de qualquer situação, evitando que esta premissa seja transferida a terceiros. Acreditamos na possibilidade de acordo entre as partes. Dessa forma, caberia somente à empresa apresentar uma proposta que atenda aos trabalhadores”, ratifica a direção sindical.

Lembrando a história
Esse caso se refere às demissões ocorridas em setembro de 2012, quando a Elektro dispensou dezenas de agentes de atendimento presencial e também os leituristas do Grupo A. Tudo isso sem informação e discussão prévia com o Sindicato, em claro desrespeito à Cláusula 29 do ACT. O Sinergia CUT solicitou  a suspensão das demissões, o que não aconteceu. Diante da intransigência da empresa o Sindicato entrou com ação judicial.

Audiências ocorreram na 4ª Vara do Trabalho em Campinas e, em 28 de janeiro de 2014, por tutela antecipada, a Justiça decidiu que a Elektro estaria obrigada a reintegrar os demitidos. O último prazo estabelecido pela sentença foi a reintegração no dia 17 de outubro passado.

A empresa, então, procurou o Sindicato com o objetivo de indenizar e não reintegrar os trabalhadores. Ficou acordado, inclusive na Justiça, um novo prazo de 30 dias para o fechamento de um possível acordo referente ao processo. A primeira proposta apresentada pela empresa não agradou aos trabalhadores e foi rejeitada. Com isso, a reintegração está mesmo prevista para esta segunda (17).

O Sinergia CUT lembra que o processo continua tramitando. “Ao final, a Justiça pode dar ganho de causa aos trabalhadores ou à empresa. O que temos até o momento é a decisão da reintegração em primeira instância, com tutela antecipada”, afirma.

  Categorias: