Furnas: reunião quadrimestral discute assuntos do ACT

05 dezembro 13:30 2014 Secretaria Geral do Sinergia CUT, com informações da Intersindical

No último dia 20 de novembro, aconteceu no Rio de Janeiro a reunião quadrimestral de Furnas, em que estiveram presentes os representantes dos sindicatos e da Intersindical. Em debate, vários itens do ACT Específico. Confira alguns pontos tratados:

Bolsa Transferência
O RH.A informou que criou o Plano de Mobilidade e também o Quadro de Referência dos órgãos da empresa. O objetivo é solucionar problemas que surgem por ocasião da transferência de trabalhador para outra área da empresa. O RH.A poderá atuar nesse processo através de Circular Geral a ser emitida.

Foram discutidos novos problemas gerados com a transferência de operadores que saíram de subestações porque estas passaram a ser “assistidas” e as novas distorções em relação ao PCR. Foram debatidas também as alocações de pessoal originadas de órgãos de TI e aproveitamento desse pessoal em outras áreas. A empresa diz estar resolvendo tais questões e informará as entidades sindicais.

A empresa garantiu na reunião que não há mais atrasos tanto nos reembolsos aos trabalhadores quanto nos pagamentos das faturas médicas dos credenciados. As entidades sindicais vão acompanhar a questão.

Reembolsos Médicos/Odontológicos/Medicamentos
Na reunião anterior reclamamos sobra a demora de mais de 6 meses para aprovação do Adicional, agora a empresa alega que não há mais demora, no entanto, está fazendo cortes de trabalhos a serem realizados em “áreas periculosas”, e apresentamos alguns casos de trabalhadores lotados no IBDD que continuam trabalhando em áreas de risco mas não estão recebendo o referido adicional. O RH.A anotou para corrigir o problema.

Adicional de Periculosidade Aprovação e cortes
Na reunião anterior, reclamamos sobre a demora de mais de seis meses para a Aprovação do Adicional. Agora a empresa alega não haver mais demora, no entanto esta fazendo cortes de trabalhos a serem realizados em “áreas periculosas”.

Apresentamos alguns casos de trabalhadores lotados no IBDD que continuam trabalhando em áreas de risco mas não estão recebendo o referido adicional. O RH.A comprometeu-se a corrigir o problema.

Calendário de compensação de feriados
Cobramos o referido calendário, inclusive o unificado com a holding, mas a empresa ainda não tinha definido. Estamos aguardando.

Quadro de Avisos da Asef
Com a instalação do sistema de televisão na portaria, foi suprimido o referido quadro de avisos da ASEF e, inexplicavelmente, o de outra Associação foi mantido. A empresa informou que vai providenciar.

Novo Banco de Horas
A empresa enviou para as entidades sindicais um novo modelo de banco de horas para analise e envio de criticas e sugestões. Solicitamos mais tempo para envio de nossas contribuições e vamos marcar para breve uma reunião especifica para debatermos o assunto.

Cartão Farmácia
O RH.A informou que os estudos estão prontos e esperávamos que a implantação desse benefício se desse neste ano de 2014 ainda.

Mas, com a migração do Plano Médico de Furnas para a gestão da FRG (Fundação Real Grandeza), a empresa quer aproveitar e passar também a administração desse benefício para a FRG. Com isso, o benefício só será implementado em maio/2015, o que é uma notícia muito ruim para os trabalhadores, pois Furnas poderia iniciar a implantação/operação e depois transferir para a FRG. Vamos fazer gestões junto ao Diretor Administrativo de Furnas.

Calendário de Pagamentos – final de ano
Segundo o RH.A, a empresa está com dificuldades de caixa (“para variar”), mas a previsão de pagamentos é:

• 2ª. parcela do 13º. Salário/14; até o dia 05/12/14;

• Talão de tíquetes natalino; até o dia 05/12/14;

• Talão de tíquetes de dezembro/14; até 22/12/14;

• 1ª. Parcela do 13º. de 2015; até 15/01/15.

Problemas relativos à gestão médica

Profissionais de saúde nas áreas regionais
Na reunião anterior, apresentamos problemas existentes em algumas áreas regionais, que não tinham profissionais de saúde prestando serviços para dar assistência aos empregados do local. Esse fato é recorrente.

Desnecessário falar dos perigos advindos com essa falha, e esperamos que solução desse fato NÃO venha com o acontecimento de uma “desgraça” nesses locais. Também já registramos que esses problemas devem ser resolvidos no âmbito de Furnas, pois não há como “exportamos” os problemas que estão ocorrendo na área médica de Furnas para a futura gestora do nosso plano médico.

Abonos de pontos e não aceitação de atestados médicos
Com relação à liberação de ponto por conta de consultas/ exames médicos realizados em horário de expediente, existe uma falta de critério clara, pois cada chefe de área age de forma diferente. Cobramos ao RH.A da empresa que atue, para que esses “senhores feudais” obedeçam à norma da empresa.

Mesmo fato para aceitação e/ou exigência de atestados médicos.

Convênio CEF
No Rio de Janeiro o referido convênio existe, mas para as áreas regionais não está funcionando, pois as agências da CEF desconhecem.
A empresa vai apurar o que está acontecendo.

PREC 2013 – Ampliação para 2014
Todo o sistema Eletrobrás tomou conhecimento de que 3 (três) empregados da holding saíram da empresa e receberam os benefícios do PREC de 2013, o qual foi encerrado em 31/12/2013.
Solicitamos tratamento igual para os empregados de Furnas que vão sair em 2014, e enviamos carta específica solicitando esse pedido a Furnas.
A FNU enviou ofício ao presidente da Eletrobrás, solicitando a ampliação do PREC para 2014, mas até agora não houve resposta.

O que queremos é evitar um grande número de processos contra as empresas.

Contratados – cumprimento do TAC sobre a “absorção do pessoal de 1993”
Na reunião anterior feita com Furnas (abril/14), ficou acertado com o RH.A que as pastas (322) com as documentações dos contratados estariam revisadas pelo RH.A e estariam prontas para serem enviadas para análise da Auditoria Interna de Furnas, isso em junho/14.

A situação atual informada na reunião de 19/11/14 foi a seguinte:
– 144 pastas em processo de análise;
– 178 pastas analisadas pelo RH.A, e destas:
– 71 pastas com pendências de documentação;
– 58 pastas não aptas para admissões;
– 49 pastas que voltaram da análise feita pela Auditoria e estão OK, isto é, aptas para serem procedidas as correspondentes admissões para Furnas desses contratados.

O RH.A. informou que ainda no mês de novembro/14 fará uma comunicação a todos os contratados informando a situação de cada um após as análises feitas nas documentações.

– com relação aos 49 processos aptos para admissão, a informação que nos foi dada pelo RH.A é que não há data

Evidentemente que não concordamos com a decisão do nosso presidente, de efetuar as admissões todas juntas, isso é alongar sofrimentos e esperanças, é punir quem está com a documentação completa, além do que hoje no cenário que estamos vivenciando agora, não temos certeza que os nossos atuais dirigentes continuarão na empresa, imagina termos que explicar toda essa história para um novo dirigente indicado para a gestão da nossa empresa.

Seria um “papai noel” brilhante para admitidos e uma grande esperança para os que estão com os seus processos (pastas) para serem analisados, pois estão testemunhando as admissões se concretizando.

Em meados de dezembro/14 vamos solicitar novas informações sobre a situação e noticiaremos aos trabalhadores(as).

Migração do Plano Médico de Furnas para a gestão da FRG
Sob a ótica de que “ganharemos todos” com a unificação da gestão do Plano de Saúde pela FRG, já que eram mantidos 2 tipos de controles: um em Furnas para os ativos e outro na FRG para os aposentados, entre outros argumentos, está em andamento a transferência da gestão do plano médico de Furnas para a FRG.

Fizemos vários questionamentos para Furnas e FRG:

• em relação a segurança do Plano, de que não será rebaixado em seu nível de atendimento e de custos;

• de que os valores que serão recebidos pela FRG cubram os custos com a gestão, não tendo o nosso fundo de pensão qualquer custo adicional;

• garantias de que todos os procedimentos médicos praticados por Furnas deverão ser transferidos para a nova gestora;

• de que forma serão atendidos os usuários das áreas regionais onde atualmente há dificuldades de se operar o plano médico;

• há problemas nas áreas regionais relativos a falta de médicos e/ou enfermeiros nos plantões, serão resolvidos ou “exportados” para a nova gestora;

• credenciamento e descredenciamento de médicos/clínicas/ hospitais, como serão efetuados e critérios etc;

–     mudanças estatutárias, como serão efetuadas;
– trabalhadores (as) de Furnas que operam o Plano vão ser aproveitados;
para a efetiva admissão, pois o presidente de Furnas quer fazer as admissões todas juntas e de uma vez só;
– foi colocada também pelo RH.A, as dificuldades com relação ao salário do futuro empregado, já que conforme acordado com o Tribunal o salário e o cargo seriam o da data do acordo.
– qual a estrutura de pessoal que ficará em Furnas para administrar e acompanhar o dia a dia do plano etc.
– O Plano médico é de Furnas, no entanto, na reunião com a FRG, foi noticiado que os documentos terão
– o nome da FRG, (carteira do plano, contratos, etc), o que estranhamos, já que o certo seria o nome de Furnas acompanhado do nome da FRG – Gestora de Saúde.

Face à complexidade, ficou decidido em reunião da Intersindical Furnas com a FRG, com as presenças do presidente do Conselho Deliberativo da FRG, do coordenador do projeto em Furnas, do presidente da FRG e da coordenadora da FRG pelas transferências das atividades do Plano, que a Intersindical acompanhará através de reuniões de 15 em 15 dias o desenvolvimento das atividades e/ou processos que estão em transferências para a FRG.

Ressaltamos, que anteriormente, solicitamos a Diretoria de Administração de Furnas, a criação de uma comissão com representantes das entidades sindicais para fiscalizar os cumprimentos dos compromissos assumidos entre as partes, bem como o bom andamento do plano, independente das atuações dos orgãos de auditoria/controle de Furnas e da FRG.

  Categorias: