Sinergia CUT e AES Tietê discutem PLR e pendências do ACT

15 dezembro 11:10 2014 Débora Piloni

Após muita insistência do Sindicato, dirigentes do Sinergia CUT participaram, no último dia 11, em Barueri,  de reunião com representantes da AES Tietê para buscar soluções aos problemas que afetam os trabalhadores e que se transformaram em pendências do processo negocial da Campanha Salarial deste ano. Entre as questões tratadas, a PLR 2014.

Apesar de a empresa apresentar, há mais de 2 anos, o desejo de alterar o modelo da PLR e, apesar também de ter havido o compromisso firmado durante as negociações salariais de 2014 de que em agosto seriam iniciadas as discussões sobre valor, indicadores e metas da PLR, nada disso ocorreu. Durante a reunião, o Sindicato observou que não seria correto negociar uma PLR para 2014 faltando somente 20 dias para terminar o ano. Informou também sobre a necessidade de trocar o “plus” da energia assegurada por outro indicador que seja transparente e factível.

Desta forma, o Sindicato propôs que se encontre urgentemente uma alternativa  para fechar o programa 2014, a fim de que não aconteça nada que não tenha sido negociado e que venha a prejudicar os trabalhadores. Afinal de contas, a segunda parcela da PLR 2014 deve ser paga em março de 2015.

Operador Isolado
O Sinergia CUT informou à empresa que aguarda o relatório final sobre as fiscalizações realizadas pela GRT nas usinas Euclides da Cunha e Bariri para que se possa tomar outras providências, como ações judiciais que garantam a saúde e segurança dos trabalhadores em seus locais de trabalho.

Assistência Médica e Hospitalar
Foram apresentadas à empresa as críticas dos trabalhadores referentes à AMH, entre elas, falta de credenciamento e dificuldades de reembolso. A AES Tietê informou que entrará em contato com a Fundação Cesp e fará um levantamento para posteriormente se reunir com o Sindicato. Aguarde.

  Categorias: