CTEEP: mudança de escala e pendências em discussão

06 fevereiro 13:00 2015 Débora Piloni

Próxima reunião está marcada para o dia 19 de fevereiro

Em continuidade ao acompanhamento das pendências do Acordo Coletivo,  o Sinergia CUT participou, na última quarta-feira (04), de reunião com a CTEEP.

Logo no início, a empresa apresentou sua “nova estrutura organizacional”, atitude novamente questionada pelo Sindicato, uma vez que as mudanças previstas parecem ter propósitos financeiros e não técnicos e poderão afetar os serviços prestados à população. A CTEEP justificou as alterações afirmando que a revisão dos modelos de operação e manutenção foi baseada em documentações pertinentes e estudos jurídicos, visando a “preservação” do emprego de seus trabalhadores.

Na sequência, o Sinergia CUT levantou a questão sobre a mudança de escala de trabalho, que foi feita sem a anuência do Sindicato. O representante da empresa se comprometeu a avaliar e trazer as devidas respostas sobre o assunto em reunião próxima.

Pendências
Somente após isso é que foram iniciadas as discussões sobre os assuntos da pauta:

– Plano CV: o Sindicato reivindicou a equiparação do percentual de aporte CTEEP no Plano Previdenciário PSAP/Transmissão Paulista – Contribuição Definida para 5% (desde que o trabalhador contribua com o percentual de 5%). Depois de uma discussão sobre o assunto, a transmissora ficou de avaliar a questão e dar um retorno na próxima reunião.

– Incentivo à Aposentadoria: o Sindicato solicitou a redução do número de rotatividade da política de emprego, bem como estender as indenizações e benefícios adicionais constantes para todos os trabalhadores, inclusive para os admitidos após 31/05/2006 e para aqueles que alcançarem a segunda data de aposentadoria do Plano PSAP/Transmissão Paulista.

Segundo os representantes da empresa, a CTEEP está disposta a trabalhar a questão utilizando a verba orçamentária existente na política de emprego, e sugeriu ampliar a abrangência da mesma para os trabalhadores admitidos após 2006 e para aqueles que já têm a 2ª data de aposentadoria pela Fundação CESP (PSAP). Com isso, a empresa está propondo reduzir a verba indenizatória de até 10 salários para um outro valor a ser negociado.

Sobre isso, o Sinergia CUT solicitou os dados demográficos para poder analisar. A empresa se comprometeu a apresentar uma proposta detalhada na próxima reunião trazendo também o número de trabalhadores que estão para se aposentar.

– PLR: foi apresentado o resultado da PLR em que a ENES (Energia Não Suprida) atingiu 740,72, e a meta ficava entre 1.515 a 4.545. Ou seja, a meta foi cumprida integralmente, com a ENES bem abaixo dos parâmetros acordados. Do mesmo modo, a meta de cumprimento com o cronograma de obras de novos empreendimentos foi plenamente alcançada.

Uma próxima reunião foi marcada para o dia 19, ocasião em que também será discutida a revisão da política de transferência de trabalhadores. Aguarde!

  Categorias: