Ato de protesto contra leilão de usinas da CESP: leiloar é privatizar!

Ato de protesto contra leilão de usinas da CESP: leiloar é privatizar!
25 novembro 08:04 2015 Lílian Parise

Para defender maior parque de geração de energia de SP, sindicalistas e trabalhadores protestam nesta quarta em São Paulo

Sindicalistas e trabalhadores participam, na manhã desta quarta-feira (25), de ato de protesto contra o leilão de Ilha Solteira e de Jupiá, as duas usinas da CESP responsáveis pelo maior parque de geração de energia elétrica do estado de São Paulo. Convocado pelo Sinergia CUT e pela Ftiuesp (Federação dos Trabalhadores Urbanitários do Estado de São Paulo), com apoio da CUT-SP, o protesto acontece em frente ao prédio da Bovespa, a partir das 9h, para denunciar à população todo o desmonte do setor energético provocado em quase vinte anos pelos governos do PSDB desde o início do processo de privatização.

A luta em defesa do patrimônio público dos paulistas e contra o leilão das usinas remanescentes da CESP para o capital privado é antiga. “Nossa luta será incansável e continuaremos até o dia do leilão brigando para que o edital garanta que quaisquer atividades sejam realizadas obrigatoriamente pelos atuais trabalhadores, inclusive para garantir a qualidade da energia que chega à população”, destacam os sindicalistas.

Desmonte total
Adiado pela terceira vez, o leilão desta quarta-feira envolve 29 usinas hidrelétricas em todo o Brasil, todas com contratos de concessão vencidos. Na prática, isso significa que o Ministério de Minas e Energia retoma a privatização do setor energético. Vale lembrar que o leilão das usinas da CESP é consequência da decisão do governador Geraldo Alckmin (PSDB) de não aderir ao acordo proposto pelo governo federal para a renovação das concessões.

É o caso de Três Irmãos, vendida em maço de 2014, e agora das usinas de Ilha Solteira e de Jupiá que devem transferir para a iniciativa privada um total de 5 mil megawatts e impactar cerca de 450 trabalhadores. “Isso significa que, quase vinte anos depois do início da privataria tucana, o que restou da antiga CESP é o desmonte total do parque de geração que é um patrimônio dos paulistas”, alertam os dirigentes sindicais.

Denúncias à população
Durante o ato, uma carta aberta será distribuída à população da capital e das cidades sede das usinas que estão na mira do leilão. A Usina de Ilha Solteira é a maior usina da CESP e do estado de São Paulo e a terceira maior hidrelétrica do Brasil. Está localizada no Rio Paraná, entre os municípios de Ilha Solteira (SP) e Selvíria (MS). Já a Usina de Jupiá – formalmente chamada de Engenheiro Souza Dias – também localizada no Rio Paraná, fica entre as cidades de Andradina e Castilho (SP) e Três Lagoas (MS).

Leia a íntegra da carta aberta assinada pelas entidades sindicais clicando aqui

 

 

  Categorias: