CS 2016: Taesa faz primeira rodada de negociação

24 fevereiro 16:53 2016 Nice Bulhões, com informações da Secretaria

Rodada ocorreu na última terça-feira (23). Uma nova reunião para tentar fechar um acordo deve ocorrer na segunda quinzena de março

 

A Taesa está sediada no Rio de Janeiro, pertence à holding Cemig e possui locais de trabalho base do Sinergia CUT em Assis, Araraquara e Pedregulho. Em função de impasses ocorridos nos processos de negociação, a Taesa não assina Acordo Coletivo de Trabalho desde 2013. Em 2014, a entidade entrou com dissídio coletivo, que foi arquivado pela Justiça. Em 2015, a entidade sindical buscou novamente a Justiça com o dissídio e aguarda julgamento.

Este ano, o Sindicato cumpriu o procedimento de data-base e a primeira rodada de negociação ocorreu na última terça-feira (23), na sede da empresa, no Rio de Janeiro. A Taesa iniciou a reunião fazendo uma análise do cenário e das dificuldades das empresas. Ela informou que, neste momento, apresentar uma proposta que seja acima da inflação/aumento real é impossível.

Referente ao ACT 2015 que está em dissídio, o responsável da Taesa entende que a empresa implementou aquilo que constava no orçamento e informou que gostaria de assinar o Acordo, propondo encerrar o ano de 2015 e suspender a mesa redonda na Gerência Regional do Trabalho (GRT).

Proposta referente ao ACT 2016/2017:

  • Inflação pelo índice a ser definido pelas partes nos salários e 8% no VA/VR

 

Os sindicatos ressaltaram na mesa que a empresa, há pelo menos dois anos, não tem levado em consideração a pauta dos trabalhadores, implementando a Convenção Coletiva do Sindicato do Rio de Janeiro, o que levou o Sinergia CUT a não assinar o Acordo e a propor a mesa redonda.

A entidade sindical quer discutir todos os itens da pauta ora apresentada à Taesa: reposição da inflação pelo ICV, aumento diferenciado no VA/VR, pagamento de sobreaviso para eletricistas de linha e não só para os operadores, auxílio creche pai/mãe, função acessória, aux.medicamentos, discussão e implementação da comissão de PLR e melhoria no valor da alimentação em viagem.

Depois de longas horas de discussão, o presidente da Taesa, José Ragoni, expôs as dificuldades que a empresa tem passado. Ele disse que, mesmo assim, tem mantido o quadro sem demitir trabalhadores e espera chegar a um bom acordo para ambas as partes. Propôs ainda aos sindicatos que priorizem alguns pontos que sejam de suma importância para os trabalhadores, desde que não saia do orçamento da Taesa.

Ragoni se comprometeu em formalizar os pontos discutidos na reunião do dia 23 de fevereiro para avaliação dos sindicatos. Ficou acertado que, na segunda quinzena de março, a empresa agendará nova reunião para tentar fechar o acordo.

 **** Em tempo, a Taesa realizou na última terça-feira (23) várias demissões em Assis.

 

O que é nosso ninguém tira!

  Categorias: