Coronavírus

Governo Doria indica volta às aulas em São Paulo para 8 de setembro

Data depende de uma significativa melhora no quadro da pandemia de coronavírus, situação em que hoje nenhuma região do estado de São Paulo se encontra

Governo Doria indica volta às aulas em São Paulo para 8 de setembro
24 junho 14:08 2020 Rodrigo Gomes, da RBA

São Paulo – O governador paulista João Doria (PSDB) e o secretário de Estado da Educação Rossieli Soares anunciaram hoje (24) a primeira data indicativa para a volta às aulas em todo o estado de São Paulo, nas redes públicas e privadas, da creche à universidade, passando por cursos livres: 8 de setembro. Essa previsão, no entanto, depende de uma melhora significativa no quadro atual da pandemia de coronavírus. As aulas só serão retomadas se todo o estado avançar e permanecer na fase 3-amarela do Plano São Paulo por 28 dias seguidos. Atualmente, nenhuma região do estado está nessa fase da flexibilização da quarentena.

A volta às aulas em São Paulo será feita em todo o estado de uma vez. Por isso foi definido que a volta só vai ocorrer quando todo o estado estiver na fase 3-amarela do Plano São Paulo, em que a ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) deve estar entre 60% e 70%, o aumento de casos deve ter índice entre 1 e 2 – dado que indica o aumento dos casos em relação à semana anterior, sendo 1 o indicador de estabilidade –, e índice de novas mortes e novas internações entre 0,5 e 1. Nessa fase, a maior parte do comércio e dos serviços está aberta, com restrição de acesso de 40% da capacidade. Hoje o estado tem 5 regiões na fase 1-vermelha e todo o restante na fase 2-laranja.

 

Segundo Soares, a volta as aulas em São Paulo será feita em três fases. Na primeira etapa, até 35% dos estudantes poderão voltar às escolas, com preservação de um metro e meio de distância entre eles, tanto na sala de aula e no transporte escolar, quanto no refeitório e atividades coletivas. Na segunda etapa, concomitante ao avanço das regiões para a fase 4-verde, do plano São Paulo, por 14 dias, voltam até 70% dos estudantes, com os mesmos protocolos. Se o controle da pandemia se mantiver na fase 4-verde por mais 14 dias, poderão voltar 100% dos estudantes.

 

As medidas de distanciamento serão adaptadas para os estudantes da educação infantil, de zero a 5 anos. “Entendemos que as crianças na educação infantil têm pouca autonomia e por isso as escolas vão ter tempo para analisar a situação das famílias, quem vai ter mais necessidade, e os protocolos que serão necessários em cada unidade escolar. Crianças que estiverem em grupo de risco, por questões de saúde, permanecerão em casa, mantendo o sistema de ensino à distância”, explicou o secretário-executivo da Secretaria de Estado da Educação, Haroldo Rocha. Os protocolos para as unidades serão discutidos a partir da próxima semana.

Por Rodrigo Gomes, da RBA

 

  Categorias: