CS 2021: Ferro Ligas propõe reajuste econômico de 2,61%. É muito pouco

Segunda rodada de negociação entre Sinergia CUT e empresa aconteceu na última segunda (12). Proposta é insuficiente e deve ser reavaliada pela bancada patronal

CS 2021: Ferro Ligas propõe reajuste econômico de 2,61%. É muito pouco
14 julho 18:02 2021 Lílian Parise, com informações da Secretaria Geral

Última modificação: 15 Julho, 2021 – 08h39

Segunda rodada de negociação entre Sinergia CUT e empresa aconteceu na última segunda (12). Proposta é insuficiente e deve ser reavaliada pela bancada patronal

Dirigentes do Sinergia CUT e um representante da Ferro Ligas participaram da segunda rodada de negociação da Campanha Salarial para renovação do ACT (Acordo Coletivo de Trabalho), na última segunda-feira (12). Logo no início da reunião, o Sindicato confirmou o recebimento da carta de garantia de data-base e reiterou a afirmação feita pela empresa para manutenção das cláusulas do atual ACT.

Em seguida, o negociador patronal relembrou que o índice utilizado para reposição de inflação nos salários e benefícios econômicos, no fechamento do Acordo do ano passado, foi o IPC-Fipe, que ficou na época em 2,61%. Depois de afirmar que manteria esse mesmo número como referência, apresentou então a proposta de reajuste de apenas 2,61% nos salários e nas cláusulas econômicas. A data-base da categoria é maio.    

Segundo a direção do Sindicato, o representante da empresa justificou que esse foi o percentual escolhido também porque “o último ano foi marcado por uma queda no preço da energia, além de um incidente na empresa, que gerou problemas com duas turbinas da usina que precisaram de reparos urgentes, o que causou um prejuízo para a empresa”. Para completar, o negociador da Ferro Ligas alegou ainda que, apesar disso, a empresa conseguiu segurar demissões, pois fizeram um financiamento para cobrir parte do prejuízo causado por essa necessidade de manutenção emergencial.

Já o Sindicato argumentou que o valor de reajuste está muito abaixo da inflação real, da expectativa da categoria e da pauta de reivindicação aprovada pelos trabalhadores. “Portanto, o índice oferecido não contempla os anseios dos trabalhadores, que já tiveram prejuízos, e que estão reivindicando apenas uma correção justa das perdas econômicas já acumuladas desde o ano passado”, explicaram os dirigentes sindicais.

Diante disso, o representante da empresa se comprometeu a consultar a diretoria da Ferro Ligas em nova reunião e retornar ao Sinergia CUT para, em seguida, marcar nova rodada de negociação. Continue ligado!

Todos pela vida, com saúde, emprego e renda!

Lílian Parise, com informações da Secretaria Geral

  Categorias: