Covid-19

Com aumento de Covid-19, EUA estuda volta do uso de máscara. Um alerta ao Brasil

A variante Delta foi responsável por cerca de 83% dos novos casos de coronavírus nos Estados Unidos, de acordo com dados do Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC)

Com aumento de Covid-19, EUA estuda volta do uso de máscara. Um alerta ao Brasil
26 julho 13:08 2021 Redação CUT

Depois de abandonar o uso das máscaras porque a maioria da população está vacinada e o número de casos e mortos por Covid-19 despencaram, os Estados Unidos voltaram a registrar  crescimento de casos por causa da entrada da variante Delta, muito mais agressiva e transmissível, no país.

A situação é tão preocupante, que o governo norte-americano a estuda a volta da obrigatoriedade do uso de máscara até mesmo entre os vacinados. É um sinal de alerta para o Brasil que, mesmo com a variante Delta e com menos 20% da população totalmente vacinada, flexibilizou as medidas restritivas contra a disseminação do vírus em vários estados.

Segundo o assessor médico da Casa Branca, Anthony Fauci, a alta de casos do vírus preocupa regiões como o Condado de Los Angeles, que registrou aumento no número de pessoas infectadas pelo vírus, e que já estão orientando o uso do equipamento de proteção até mesmo entre os imunizados. 

A estiamtiva dos cientistas é de que, com a circulação da variante Delta, o número de casos e mortes por Covid-19 nos EUA atinja o pico em outubro com cerca de 240 mil novos casos e quatro mil mortes por dia.

A variante Delta foi responsável por cerca de 83% dos novos casos de coronavírus nos Estados Unidos, de acordo com dados do Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).

Por outro lado, a média diária de pessoas totalmente imunizadas é a mais baixa desde o final de janeiro, quando os Estados Unidos estavam apenas começando a aumentar sua campanha de vacinação.

Além disso, trinta estados ainda não vacinaram totalmente pelo menos metade de seus residentes, com Alabama e Mississippi com menos de 35% totalmente vacinados, de acordo com o CDC.

Os EUA é o país que acumula mais mortes no mundo em decorrência da pandemia. São mais de 600 mil óbitos.

Situação no Brasil

Segundo país com mais vidas perdidas para a Covid-19, o Brasil acumula 550 mil vidas perdidas para o vírus desde o início da crise sanitária no ano passado. Nas últimas semanas, o país vem registrando queda no número de casos e mortes, mas a variante Delta já contaminou mais de 150 pessoas no Brasil.

E a vacina continua lenta. O país tem até o momento 95.480.308 pessoas que já receberam a primeira dose de vacina, o equivalente a 45,09% da população. A segunda dose e a dose única já foram aplicadas em 37.549.091 pessoas, o que representa 17,73% da população do país.

Sobras de vacinas nos EUA

Fauci relaciona o crescimento à variante Delta e a uma parcela da população que ainda não foi vacinada contra a Covid-19. À CNN americana, o especialista admitiu ter participado de discussões sobre um possível retorno das medidas de proteção ao vírus como distanciamento social e uso de máscaras.

Pelo Twitter, o biólogo e pesquisador brasileiro Atila Iamarino, criticou o governo americano sobre o impacto da variante Delta no país com mais vacinas sobrando no mundo.

“Conforme a delta se espalha, mais estados nos EUA precisam voltar para trás e reintroduzir uso de máscaras e distanciamento. É impressionante o país ter vacinas sobrando e tanta gente sem se vacinar colocando a vida dos outros em risco”, criticou.

De acordo com o jornal Financial Times, a variante ameaça o grande retorno do Dia do Trabalho nos EUA, no momento em que as maiores empresas americanas vinham anunciando para o dia 7 de setembro a volta dos funcionários aos escritórios, mas a variante começou a mudar os planos, com a Apple adiando por “pelo menos um mês”.

Pela primeira vez país registra menos de 500 mortes por Covid

Pela primeira vez desde janeiro deste ano o Brasil registrou 476 novas mortes em 24 horas pela Covid-19 neste domingo (25). O fim de semana costuma registrar menos casos e mortes, mas este é o menor número desde que o país registrou 452 mortes em 18 de janeiro. 

O total de vidas perdidas para a Covid-19 está em 549.924. O país também registrou 18.129 novos casos. Desde o início da pandemia já são 19.688.663. 

 A média semanal de vítimas, que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana, é de 1.105, a menor desde 23 de fevereiro deste ano, quando o indicador estava em 1.095, é um patamar considerado alto por especialistas.

Escrito por: Redação CUT

  Categorias: