CONTAG e FETAG-RS cobram combate às fraudes na concessão de empréstimos consignados

Em audiência pública, entidades cobraram medidas urgentes para resolver os problemas gerados pelas fraudes, práticas abusivas e endividamento dos aposentados e pensionistas do INSS

CONTAG e FETAG-RS cobram combate às fraudes na concessão de empréstimos consignados
24 agosto 10:49 2021 Redação CUT

Escrito por: Redação CUT

Representantes da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG), da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (FETAG-RS), do Procon Nacional, do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e de instituições financeiras debateram em audiência pública, realizada nesta segunda-feira (23), os problemas gerados pelo empréstimo consignado sem autorização e o vazamento de dados dos segurados do Instituto.

Na audiência, realizada na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público, foram citadas as 7 principais fraudes, práticas abusivas e endividamento dos aposentados e pensionistas identificadas e denunciadas, inclusive pela Contag, federações e sindicatos:

1 – fornecimento de dados dos aposentados por parte do INSS, sem a autorização dos mesmos;

2 – apropriação das senhas do aposentado pelo banco e concessão indevida de empréstimos por meio dessas senhas;

3 – empréstimos realizados com assinaturas falsas;

4 – contratos realizados por telefone, sem a autorização do segurado;

5 – depósitos de valores nas contas dos segurado sem a autorização dos mesmos e sem o seu conhecimento;

6 – renovação automática de empréstimos consignados sem a autorização do aposentado ou com falsificação de assinaturas;

7 – portabilidades de contratos sem a autorização do aposentado.

A secretária de Políticas Sociais da Contag, Edjane Rodrigues, cobrou medidas urgentes para resolver os problemas, afirmando que não é contra a política de empréstimo consignado e, sim, contra as fraudes e práticas abusivas que vêm ocorrendo.

A dirigente disse que a entidade recebe denúncias diariamente de aposentados e pensionistas que não autorizaram o empréstimo e mudanças de dados também sem autorização.

“Todos esses problemas estão gerando endividamento e sérios transtornos na vida dos segurados e seguradas”, afirmou Edjane.

De acordo com ela, há tempos a Contag, as federações e sindicatos vêm denunciando os casos aos órgãos competentes na tentativa de encontrar uma solução para o problema.

“Apresentamos também essa situação para o Conselho Nacional de Previdência. Até então não tem nenhuma resolução. Essa lentidão gera uma situação lamentável. Por isso, cobramos, mais uma vez, medidas urgentes para resolver essas questões que afetam profundamente a vida de muitas pessoas”, cobrou a dirigente da Contag.

O presidente da FETAG-RS, Carlos Joel da Silva, reforçou as cobranças, citando alguns casos envolvendo aposentados e pensionistas rurais, e denunciou o vazamento dos dados dos segurados.

“Tem uma legislação de proteção de dados, mas não está funcionando com o sistema do INSS. Não somos contra a política de empréstimo. É importante, mas para quem quer e precisa. Temos dossiê que ajudamos a construir em defesa dos segurados(as) especiais. Estamos cobrando solução para esse problema!”

O deputado Heitor Schuch (PSB-RS), que apresentou  requerimento para realizar a audiência pública, também lamentou os problemas relatados. “É uma prática lamentável e criminosa que tem se tornado cada vez mais comum no Brasil, afetando principalmente os idosos, que estão entre os consumidores mais vulneráveis”.

O representante do INSS, Alessandro Roosevelt Silva Ribeiro, afirmou que há crime envolvido em boa parte dos casos denunciados, com assinaturas falsas, autorizações falsas, assim como vazamento das informações.

“Temos algumas ações abertas junto à Polícia Federal para identificar os responsáveis”. Quanto a outros assuntos relacionados aos empréstimos consignados, Alessandro disse não existe uma “bala de prata” para resolver todos os problemas. “Cada etapa do consignado precisa ser trabalhada de forma separada”, explicou.

Também participaram da audiência pública representantes do Banco Central do Brasil, Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Intituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Associação Brasileira de Bancos e da Associação Nacional dos Profissionais e Empresas Promotoras de Crédito e Correspondente no País (Aneps).

Fonte: Assessoria de Comunicação da CONTAG – Verônica Tozzi

*Edição: Marize Muniz 

______________________________________________________________________________________________________________________________________________
 crédito consignadoFraudespráticas abusivascontag denuncia

  Categorias: