Nenhum direito a menos!

Greve dos eletricitários continua: 10 dias sem trégua

Os trabalhadores reivindicam plano de saúde justo, melhores condições de trabalho, contra as escalas abusivas e à ausência de testes de Covid na empresa, entre outras demandas

Greve dos eletricitários continua: 10 dias sem trégua
26 janeiro 14:21 2022 FNU

Leia Mais: Cresce a greve contra o aumento nos planos de saúde de trabalhadores da Eletrobras

Contra o desrespeito da Eletrobras que insiste em retirada de direitos, como é o caso do plano de saúde, e na continuidade ao processo de privatização da empresa, a greve dos trabalhadores do Sistema Eletrobras continua com resistência e luta. Nesta quarta-feira (26/1), o movimento completa 10 dias em Furnas, nas subsidiárias da Eletronorte o movimento iniciou-se na última segunda-feira (24/1). As paralisações ganharão mais força ainda na próxima sexta (28/1) quando os trabalhadores da Chesf (Nordeste) também irão entrar em greve por tempo indeterminado.

Os trabalhadores reivindicam plano de saúde justo, melhores condições de trabalho, contra as escalas abusivas e à ausência de testes de Covid na empresa, entre outras demandas.

A greve também é um protesto contra o processo de privatização da Eletrobras que prossegue em total desrespeito ao TCU (Tribunal de Contas da União), onde o referido processo se encontra ainda em apreciação, com pedido de vista do Ministro Vital do Rêgo. Todos os estudos apontam que consumado esse processo, haverá aumento de custos ao consumidor.

A intenção do governo é publicar o edital de privatização no primeiro semestre de 2022 e entregar com valor ínfimo, um patrimônio do povo brasileiro que registrou um lucro de R$ 965 milhões só no primeiro trimestre de 2021. Para isso, vem pressionando o Tribunal de Contas da União (TCU) no sentido de aprovar o projeto ainda este ano e, dessa forma, assegurar que o processo de entrega das outorgas não se inicie no período eleitoral de 2022 e a privatização seja inviabilizada.

Presidente da CNU manifesta apoio incondicional à greve dos eletricitários
Paulo de Tarso, presidente da CNU, expressa seu apoio incondicional à greve dos trabalhadores do Sistema Eletrobras. “Neste momento, exigimos do governo federal e da direção da Eletrobras assegure as mesmas condições do plano de saúde aos trabalhadores e seus familiares, pague a PLR devida e não atropele o processo tentando privatizar a empresa eivado de vícios e irregularidades que o TCU vem apurando”. #GreveSistemaEletrobras

ASSISTA: https://www.fnucut.org.br/videos/greve-dos-trabalhadores-do-sistema-eletrobras-apoio-incondicional/

Canal de Denúncias

Está aberto um canal de denúncias para os trabalhadores do setor elétrico em greve, caso sejam vítimas de constrangimentos, assédio moral ou qualquer tipo de pressão para inviabilizar a adesão à greve. Para acessar o canal, basta clicar no link https://salveaenergia.com.br/escuta-digital/.

A FNU e CNU estão apoiando o movimento dos(as) trabalhadores(as) e seus sindicatos que lideram a mobilização, assim como repudiam qualquer perseguição da empresa a um movimento legítimo.

A greve é um justo instrumento de pressão coletiva e é inadmissível que a direção da empresa e suas gerências, de forma autoritária e coercitiva, ameace os(as) trabalhadores(as) que aderem a luta em defesa de seus direitos.

A hora é de seguirmos unidos, solidários e no apoio ao movimento grevista.
Resistência na luta, até a vitória!

Leia também:
. Eletricitários de todo o país em greve por tempo indeterminado: por direitos e contra a privatização da Eletrobras
. Canal aberto aos eletricitários para denunciar assédio moral ou coerção durante a greve
CNE oficia Eletrobras sobre greve dos eletricitários

Por FNU

Fotos: Site FNU

  Categorias: