AES Brasil Operações SA: ainda a novela dos assuntos pendentes

Caso não haja encaminhamentos definitivos para pontos tão importantes aos trabalhadores, o Sinergia CUT tomará providências cabíveis, inclusive ingressando com ação judicial, se for o caso

AES Brasil Operações SA: ainda a novela dos assuntos pendentes
13 maio 11:51 2022 Débora Piloni, com informações da Secretaria Geral

Caso não haja encaminhamentos definitivos para pontos tão importantes aos trabalhadores, o Sinergia CUT tomará providências cabíveis, inclusive ingressando com ação judicial, se for o caso

No último dia 09 de maio, ainda sem retorno para alguns pontos que vêm sendo discutidos há muito tempo, desde 2021, Sinergia CUT e AES Brasil Operações se reuniram novamente para tratar de assuntos pendentes. O que se espera é que a empresa cumpra as etapas e prazos prometidos. Caso contrário, providências mais urgentes serão tomadas por parte do Sindicato.  Confira abaixo quais assuntos foram tratados nesta reunião:

  • Crédito do CD: durante o processo de negociação com a empresa referente o saldamento do PSAP Tietê em 2020, foi acordado que a AES iria realizar um aporte financeiro na conta dos trabalhadores que haviam migrado para o plano CD. Esse aporte deveria ter sido creditado em janeiro de 2021, o que não ocorreu. Segundo a empresa, os procedimentos para o pagamento deveriam ser definidos pela VIVEST, e esta não o fez.  O novo prazo deverá ser até junho.
  • Sobreaviso: durante o ano de 2021 o Sinergia CUT cobrou da empresa que o acionamento do sobreaviso, em muitos dos casos, poderia ser evitado, trazendo com isso uma melhor qualidade de vida para os trabalhadores. Diante desse questionamento, em setembro do ano passado, foi realizada reunião com a AES Brasil Operações em que ela apresentou um relatório com os acionamentos realizados. Como esse documento estava incompleto foi solicitada a sua atualização e o envio para o Sindicato, o que não ocorreu. A empresa informou que apresentará o documento atualizado nos próximos dias.
  • Plano de Cargos e Salários: historicamente os trabalhadores vêm reivindicando uma maior transparência no Programa de Cargos e Salários da empresa, com a necessidade que isso seja discutido com a entidade sindical. Porém, a AES Brasil Operações tem se recusado a negociar o PCS.  Durante as negociações da Campanha Salarial de 2021 a empresa se comprometeu a realizar, a partir de outubro daquele ano, reuniões nos locais de trabalho com as trabalhadoras e trabalhadores, para explicar o funcionamento e a metodologia do PCS, o que não ocorreu.  A alegação para isso é que foi substituída a empresa que elabora o Plano de Cargos e Salários, e que o mesmo ainda não estaria finalizado. Assim que isso ocorrer, será apresentado, e não negociado, com o Sindicato. Posteriormente irá fazer uma agenda para apresentar para os trabalhadores.
  • Reconhecimento do Tempo de Serviço: o Sinergia CUT cobrou a empresa sobre a finalização das negociações do reconhecimento de tempo de serviço. Para que isso ocorra, é necessária uma nova reunião com a VIVEST, para esclarecimento de vários pontos que ainda estão obscuros. Esta reunião está prevista para acontecer na próxima terça-feira (17).
  • Compensação de Pontes de feriados X Serviço Programado: o Sindicato, na ultima reunião realizada, solicitou que a empresa fizesse um melhor planejamento para os trabalhadores da manutenção /operação inseridos no programa de compensação de feriados, pois os mesmos fazem a compensação das horas no decorrer do ano e durante as pontes de feriados estão ocorrendo serviços programados. A empresa informou que irá verificar e resolver a situação.
  • Reposição de vagas: o Sinergia CUT está cobrando a empresa sobre a  reposição das vagas existentes e também a normatização do transporte dos mantenedores. A empresa informou que, para resolver essa questão, a área de recursos humanos vai reabrir o processo de preenchimento das vagas faltantes em todas as áreas.
  • Conselho De Administração: o Sindicato voltou a cobrar a empresa para que realize a eleição para Representante dos Trabalhadores no Conselho de Administração, visto que a vigência do mandato do atual conselheiro expirou em março de 2022. Vale lembrar que a última eleição realizada aconteceu em 2020, com mandato de 2 anos. No entanto, a AES Brasil Operações, em uma atitude totalmente estranha, sem nenhuma consulta às entidades sindicais e aos próprios trabalhadores, reconduziu os atuais representantes até 2023.  Isto tudo em desacordo com o regulamento eleitoral, à vigência do mandato e ao que diz o edital de venda das empresas. O Sinergia CUT continuará a insistir no diálogo com a AES Brasil Operações e, se não houver acordo para solucionar este impasse, a Direção do Sindicato definiu o ingresso com ação judicial para garantir o cumprimento do regulamento eleitoral. 

“Mais salários, mais direitos, mais empregos, mais saúde, mais luta com você!”

Por Débora Piloni, com informações da Secretaria Geral

  Categorias: