Rebeca brilha em Tóquio com 1° ouro da ginástica artística feminina do Brasil

Campeã no salto, paulistana é a 1ª brasileira com 2 medalhas numa mesma edição das Olimpíadas e a 4ª mulher a conquistar ouro olímpico em competições individuais, depois de Maurren Maggi, Rafaela Silva e Sara

Rebeca brilha em Tóquio com 1° ouro da ginástica artística feminina do Brasil
02 agosto 08:31 2021 Redação CUT

Escrito por: Redação CUT

Rebeca Andrade, paulistana de 22 anos, brilha nas Olimpíadas de Tóquio 2020 e conquista o ouro olímpico na ginástica artística feminina ao marcar 15.083 na prova do salto, realizada na madrugada deste domingo (1°). 

JÚLIO CÉSAR GUIMARÃES/COB

“Me senti muito orgulhosa de mim. Acho que consegui representar a força da mulher. É muito gratificante. As pessoas sabem como é difícil estar aqui e sabem o quanto é difícil trazer duas medalhas. É muito esforço, muito trabalho”, declarou Rebeca à TV Globo após a prova, exaltando a força, o poder das mulheres.

Primeira brasileira a conquistar duas medalhas em uma mesma edição de Jogos Olímpicos, Rebeca que já havia conquistado a prata na prova individual geral realizada na quinta-feira (22), é a quarta mulher a conquistar ouro olímpico em competições olímpicas individuais, depois de Maurren Maggi, medalha de ouro no salto em distância dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008; Rafaela Silva, medalha de ouro no judô nos Jogos Olímpicos Rio 2016; e Sarah Menezes ouro em Londres 2012.

E a garota de ouro de Guarulhos  ainda pode conquistar mais medalhas olímpicas nesta edição dos jogos realizada no Japão com atraso de um ano por causa da pandemia do novo coronavírus. Rebeca está na final do solo feminino, que será disputada na madrugada desta segunda-feira (2), da 5h45. tendo a chance de sair da capital japonesa com três medalhas.

“Eu dedico a conquista da medalha de ouro a todo mundo, mas, em especial, ao meu treinador, Francisco Porath. A gente trabalhou muito e era um dos aparelhos em que eu tinha mais chance, como vocês sabem. Eu fiquei muito satisfeita. Acho que fico mais feliz com a felicidade dele do que com a própria medalha”, disse Rebeca segundo o site do Comitê Olímpico Brasileiro (COB). 

JOANNE RORIZ/COB

A prata ficou com Mykayla Skinner, dos Estados Unidos, com 14.916 – americana que substituiu a estrela Simone Biles que desistiu da disputa para cuidar da saúde mental, segundo ela mesma declarou em coletiva à imprensa,  na final -, e o bronze com Seojeong Yeo, da Coreia do Sul, com 14.733. 

Simone torceu abertamente por Rebeca quando gritou: gritou: “Go, Rebeca!” (Vamos, Rebeca!), mas também incentivou sua companheira de equipe, a americana Jade Carey, que era uma das favoritas ao pódio, porém ficou sem medalha.

Outra estrela da ginástica artística feminina, a romena Nádia Comaneci, que já havia comemorado a prata de Rebeca, postou em seu perfil no Twitter uma foto da atleta brasileira com a medalha no pescoço e escreveu, em romeno, claro: “Impressionante”. 

REPRODUÇÃO/TWITTER

Nadia Comaneci é uma das maiores ginastas da história, ela ganhou nove medalhas olímpicas, cinco delas de ouro, foi a primeira ginasta a receber uma nota dez — desempenho perfeito — em um evento olímpico de ginástica artística, tem quatro medalhas mundiais e doze medalhas europeias.

Redes sociais explodem de alegria

 A ginasta de Guarulhos que defende as cores do Flamengo dominou as redes sociais com a prata no individual geral nos últimos e hoje virou a rainha para muitos brasileiros. Apesar de saber de grande repercussão dos seus feitos, a jovem segue focada na busca de seu terceiro pódio olímpico.

“Estou bombando nas redes sociais, a galera ficou bem feliz. Mas a minha cabeça está a mesma de quando eu saí do Brasil para vir competir, totalmente concentrada, sabendo as coisas que importam e o que eu preciso fazer, para depois pensar em tudo isso que está acontecendo”, disse Rebeca.

rebeca andradeouro no saltomedalha olímpicaginástica olimpicaolimpíadas de Tóquio 2021

  Categorias: