Não aguentamos mais

10 motivos para tirar Bolsonaro da Presidência da República

Panfleto que circula pelo país lista 10 (dos muitos) motivos para tirar Bolsonaro, que faz o pior governo da história do Brasil, da Presidência da República. Material pode ser baixado e divulgado nas redes

10 motivos para tirar Bolsonaro da Presidência da República
17 agosto 15:26 2021 Andre Accarini | CUT

Já está circulando pelas ruas de todo o pais um informativo que lista “10 motivos para tirar Bolsonaro da Presidência”.

Com linguagem simples e direta, o panfleto, elaborado pela Campanha Nacional ‘Fora, Bolsonaro’, da qual a CUT faz parte, tem o objetivo de dialogar com a população sobre as principais razões que fazem do governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL), um governo insustentável, cujas ações promovem os maiores retrocessos sociais, trabalhistas e econômicos da história do Brasil.

Em boa hora, o lançamento do material soma forças à mobilização desta quarta-feira, 18 de agosto, dia em que a classe trabalhadora realizará atos, paralisações e mobilizações tanto nas ruas quanto nas redes sociais, em apoio à greve dos servidores públicos em todo o Brasil. Mas será usado também nas próximas manifestações, como no dia 7 de setembro, data que haverá novas manifestações. O Grito dos Excluídos, neste dia, terá como bandeira principal o #ForaBolsonaro.

Além de ser entregue em locais públicos de grande circulação o panfleto pode ser também compartilhado pelas redes sociais. A ideia surgiu da necessidade de ampliar a conscientização da população sobre os ataques de Bolsonaro ao povo brasileiro.

“A ideia é que os sindicatos em todo o pais utilizem, reproduzam e distribuam o panfleto em portas de fábricas, locais de trabalho, terminais de ônibus e metrô, feiras, ou seja, locais de grande circulação”, diz Milton dos Santos Rezende, o Miltinho, diretor executivo da CUT.

O Brasil não te aguenta mais

Os 10 motivos listados dialogam diretamente com a destruição dos serviços públicos pretendida por Bolsonaro e seu ministro da Economia Paulo Guedes. Mas também citam problemas graves enfrentados pelo país, causados e agravados pela condução política de Bolsonaro, como o negacionismo para lidar com a pandemia do novo coronavírus, o desemprego, a fome, a míséria e a carestia.

“O governo Bolsonaro congela e corta recursos nas áreas mais importantes para o povo como na saúde, na educação e moradia. Não contente com suas maldades, quer demitir servidores, aumentar o número de cargos por indicação política e destruir os serviços públicos com a reforma Administrativa”, diz um dos tópicos do panfleto.

Outros motivos são a volta do Brasil ao mapa da fome, o desemprego crescente, o insuficiente valor do auxílio emergencial em 2021, a alta dos preços, a carestia e a inflação, além da política de privatizações que saqueia o Brasil entregando o patrimônio público a “preço de banana” para a iniciativa privada, piorando a qualidade de serviços públicos e a violência contra negros e indígenas.

“Está claro que esse governo não tem políticas públicas para responder a essas questões. A única política que tem é de ataque à democracia e tentar se perpetuar no poder. Esse governo não pensa nos pobres, não pensa nos trabalhadores, nem no desenvolvimento do país. Não tem capacidade política e administrativa nenhuma de permanecer governando um país rico como o nosso”, Miltinho.

Só vamos parar com essa campanha quando realmente o governo cair. Esse governo está destruindo o Brasil

– Milton dos Santos Rezende


| Baixe aqui o panfleto em PDF |

O que você pode fazer para tirar Bolsonaro da Presidência?

Nas redes sociais use a hashtag #ForaBolsonaro e os matérias da campanha, disponíveis no site da Campanha Nacional Fora Bolsonaro

Todos podem também pressionar o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), para que ele tire da gaveta pelo menos um dos mais de 120 pedidos de impeachment. Para isso, acesse: SUPERIMPEACHMENT.ORG

DIGA NÃO À REFORMA ADMINISTRATIVA: Acesse aqui o site Na Pressão para pressionar parlamentares a votarem contra a PEC 32

Edição: Marize Muniz

Escrito por: Andre Accarini | CUT

  Categorias: